Ir para conteúdo

Análise do Nintendo Switch

Sempre gostei bastante dos aparelhos da Nintendo, desde os tempos de Gameboy e Super Nintendo e meu novíssimo Nintendo Switch chegou na última sexta, um dia bem sugestivo para sequencia massiva de jogatina e foi exatamente o que aconteceu. Deixei um pouco os jogos incompletos do Nintendo 3DS/Xbox One, séries de TV e livros de lado para embarcar na aventura de Zelda: Breath of Wild. Nesse texto vamos comentar sobre alguns aspectos técnicos do novo aparelho da Nintendo, informadas em janeiro de 2017 e meus comentários de acordo com três dias de uso.

O Nintendo Switch é vendido em 2 cores (azul/vermelho e cinza), a minha escolha foi a cinza por achar mais discreto e também para combinar com meus outros aparelhos da Nintendo (GameBoy Color, GameBoy Advance SP e New Nintendo 3DS) e possui dimensões agradáveis para não tomar todo o espaço da sua mesa ou estante, até mesmo porque é um aparelho móvel também, com um dock de conexão de tamanho aproximado de 104 x 173 x 54 mm e 327 gramas. A tela é sensível ao toque LCD de 6,2 polegadas com 297 gramas e resolução de 720p (1280×720) em contrapartida a tela do Wii U que tinha resolução de 854×480. Após ser conectado no dock ou base como acharem melhor, o Switch é capaz de rodar jogos em 1080p a 60 fps por meio de uma conexão HDMI que já vem incluído na caixa como todos os vídeo games da nova geração.

O formato do som é digital em PMC 5.1 e a tela também possui som estéreo e o processamento se dá por um por um chip Tegra customizado da Nvidia, feito especialmente para o Switch. Na parte de armazenamento o novo vídeo game a Nintendo vem equipado com 32 GB de memória interna, enquanto que o PlayStation 4 e Xbox One possuem HDs entre 500 GB e 1 TB. Caso queira aumentar a capacidade do disco você terá que usar cartão microSD ou microSDXC de até 200 GB, ou ainda usar os Game Cards do Switch para poupar espaço em disco.A conectividade pode ser feita com Wireless LAN 802.11 a/b/g/n/ac podendo adicionar várias redes, Bluetooth 4.1 (modo TV somente), a conexão USB é do tipo C, e caso prefira conectar na internet via cabo é só utilizar a USB LAN. Além da conectividade, a duração da bateria é algo considerado muito importante em qualquer dispositívo móvel, que no Nintendo Switch pode ser entre 2,5 horas e 6 horas. Pelo que testei acho difícil chegar até 6 horas, fiz uma jogatina de Zelda em que comecei 9 da manhã e quando foi 13 horas (4 horas de uso), o Switch já apontava bateria fraca e o marcador dizia ter 15%. O carregamento da bateria íon-lítio com 4.310 mAh/não removível é feito por meio da porta USB-C e dura aproximadamente 3 horas. Achei o tempo da bateria até bom para todos os recursos apresentados, e ainda com vibração no controle, NFC e acelerômetro, veja mais detalhes no vídeo em inglês da Nintendo sobre o hardware:

Na caixa vem: Console (Tela); Dock de conexão; Joy-Con (esquerdo e direito); Joy-Con Strap (suportes para separar os controles Joy-Con para modo duas pessoas ou para jogar com um controle em cada mão); Joy-Con Grip (para juntar os controles Joy-Con quando a tela estver no dock de conexão); Cabo HDMI; Cabo de força; Manual do usuário e garantia.

Não há muito o que escrever ainda sobre o software interno, é bem rápido, possui 2 temas (fundo de tela preto e fundo de tela branco), diferentemente do 3DS agora é possível autenticar em uma Nintendo Network ID e depois sair para autenticar em outra, e já que falamos da loja, ainda não foram lançados aplicativos e temos pouquíssimos jogos de peso até o momento, Confira a lista de jogos até o momento do artigo: Zelda: Breath of the Wild; Bomberman R; Ultra Street Fighter II: The Final Challengers; Mr. Shifty; 1-2 Switch; Just Dance 2017; Snipper Clips; Shovel Knight; Fast RMX; Graceful Explosion Machine; Metal Slug 3; The King of Fighters ’98; NAM-1975; Shock Troopers; Waku Waku 7; Skylanders Imaginators; The Binding of Isaac: Afterbirth+; Puyo Puyo Tetris; Pocket Rumble; Has Been Heroes; Snake Pass.

Legenda: É possível a escolha da interface em português do Brasil, mas prefiro em inglês e já tenho o Zelda e Bomberman 🙂

O que torna a interface fácil de usar é o fato de ser bem minimalista com os recursos bem acessíveis, e para quem gosta de compartilhar as atividades nos jogos, agora é possível publicar via Twitter e Facebook as capturas de tela tiradas com um botão exclusivo no controle Joy-Con esquerdo, configurar recursos de energia. Li alguns relatos de travamento no sistema, o que ainda não aconteceu comigo em 3 dias seguidos de uso intenso, o que chegou mais perto de um travamento foi no momento da compra do Bomberman R, mas no final das contas deu tudo certo.

A Nintendo já começou a vender os acessórios, e o que eu comprei primeiro foi o case + película, pois ao tirar e colocar o vídeo game no dock, pode gerar alguns riscos na tela. Outras opçoes ficam por conta do Joy‑Con Wheel, que é uma roda que pode funcionar muito bem como um volante facilitando a jogabilidade em alguns jogos. Tem também o Nintendo Switch Pro Controller que ainda não testei, mas parece ser um controle um pouco maior e mais confortável. Além desses acessórios que comentei é possível comprar quase todos os itens da caixa separadamente, exceto a tela (vídeo game).

O preço sugerido no site da Nintendo mostra US$299,99, porém muito diferente dos preços praticados aqui no Brasil, mesmo com a conversão do Dólar e aplicação de impostos que quase todo e qualquer produto importado possui. Aqui no Brasil você vai encontrar entre R$2399,99 até 3599,99 alguns deles com Zelda adicionado ao pacote da compra, algo que não é feito oficialmente pela Nintendo e sim pela empresa/loja que importou e está revendendo o produto.

Depois de todos de toda a análise, muitas delas já publicadas em sites de análises e pela própria Nintendo juntamente com os meus comentários, cabe a você colocar em uma balança todos os recursos e jogos disponíveis com os preços ou com a dificuldade de comprar aqui do Brasil. No meu caso, o Switch chamou minha atenção por dar possibilidade de jogar na TV e também ser móvel, ainda mais sendo um grande fã dos produtos da Nintendo e do jogo Zelda, que foi lançado no mesmo dia e estava esperando desde a E3 para jogar. Ainda está em dúvida? Aguarde meus próximos textos ainda essa semana. Enquanto isso, você pode assistir novamente o vídeo lançado na E3.

Se você gostou do texto não deixe comentar e compartilhar, e se você quiser falar comigo é só procurar no Twitter por @cassiodiego, sempre estarei enviando capturas de tela de jogos e fotos legais do Nintendo Switch.

2 Comentários

  1. Jellyane Jellyane

    Adorei o post, parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *